domingo, 3 de dezembro de 2017

Da subjetividade à resistência: a escrita de textos que nos tocam


O dito contemporâneo lida com um factual multipolarizado – tanto pela fratura política que atravessa, passando pelas ainda incertas discussões sobre uma pós-humanidade, até chegar aos conflitos de identidade ligados ao gênero, ao território, à etnia, à cultura e à condição socioeconômica. Tudo isto configura uma literatura cada vez mais resistente ao que está posto como verdade inviolável e preestabelecida. Nesse sentido, a proposta desta oficina passeia por textos literários que discutem e conformam um campo de resistência, seja para o feminino, seja para a/o negra/o ou o latino-americano, sem perder de vista o caráter estético inerente a qualquer peça de arte. Assim, iremos refletir, papear e escrever a partir da resistência, compondo nós mesmas/os outras maneiras de se narrar e poetizar por meio das questões que nos tocam.

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © 2014 Clarissa Macedo