quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Poesia

Descendência


Sou filha de uma índia desconhecida
que me pariu numa pedra
na beira da estrada

não uma chocadeira, mas uma árvore
que põe frutos todos os dias

talvez por isso eu seja tão forte
talvez por isso eu ande em nuvens de pés descalços
e seja tão só

A estrada onde nasci conserva um vigor ainda
e eu a visito todos os anos no dia de finados

minha estrada é a esquina onde segui
e lá estão apregoados meus véus e meus desejos

minha índia, mãe de toda uma lírica,
eu nasci porque não havia opção.



0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © 2014 Clarissa Macedo